Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \28\UTC 2012

Após a queda do muro de Berlim em nove de novembro de 1989, muita coisa mudou!

Ele não foi apenas um muro, que separava a Alemanha, ele era o próprio simbolismo de dois modos de vida.

O lado Ocidental representava o capitalismo e o avanço, onde seus ilustres ícones (França, Reino Unido, Estados Unidos) tinham acesso e forte influência. Isso fica claro quando, depois da derrubada do muro houve migração em massa para essa região.

Já no lado Oriental consistiu no sector soviético de Berlim, que tinha a antiga URSS, como lider e mecenas.

Dentro desse contexto existia uma lutra fratricida para a conquista da hegemonia na politica internacional, onde inclusive Cuba era um importante satelite comunista na America Latina.

Tenho claro que não podemos misturar política com modo de produção, mas é que nesse caso o modo de produção e a orientação política caminharam lado a lado, então fica difícil fazer crítica abstraindo os modos de produção.

Mas é que nesse caso o muro de Berlim, fazia uma clara divisão entre dois mundos um era o mundo capitalista, que na maioria dos casos tem lideres direitistas e o mundo socialista que era gerido por políticos de esquerda.

Inclusive naquela época existia um forte conceito de direita e esquerda, o mundo pós Muro de Berlim se tornou amorfo no sentido político, hoje assistimos guerras homericas dentro de partidos na disputa do espolio esquerdista, algo absolutamente incoerente com a realidade dos fatos.

Quando o muro caiu, não caiu apenas um monte de tijolos, caia também dois mundos, naquele momento o mundo dava adeus a U.R.S.S, a saudosa direita e a esquerda, hoje o sistema ficou disforme, tanto a esquerda como a direita se perderam nesse novo mundo sem referência e acabaram se tornando um vázio de idéias.

E a prova disso é a nossa agenda do dia, com a famosa aliança PP e PT aqui na cidade de São Paulo.

Não adianta criticar o Lula ao se aliar a Maluf, pois com a queda da ideologia hoje vivemos num sistema pragmatico onde oque importa é chegar.

Anúncios

Read Full Post »

Infelizmente o discurso político em nossos dias tem sido morno, pra não dizer sem graça e previsível!

Até pouco tempo existiam verdadeiros combates eleitorais e muitos debates exibidos na Tv eram esperados com muita expectativa, pois eram noites de duelo entre direita e esquerda, discussão de propostas, passado, teses defendidas pelo candidato A ou B.

Atualmente com o crescimento da figura do marqueteiro e esvaziamento de ideias nos partidos, que são um reflexo da sociedade em um momento no tempo. Acabou a era de duelos!

E hoje presenciamos um momento de partidos amorfos, sem ideologias onde tudo é resolvido pelo marqueteiro, essa figura desfigurou nossos políticos transformando os mesmos em astros, onde vale tudo para ficar belo diante das câmeras. Até mudar o guarda roupa!

Conseguiram torna-los, casado, fútil, quotidiano e tributável, exatamente o oposto do que Álvaro de Campos luta contra, em seu poema Lisbon Revisited.

A cartilha contemporânea prega um candidato politicamente correto, amorfo, sem sabor, na Tv e no programa do partido esta tudo aquilo que a sociedade quer educação, saúde, segurança, habitação, lazer e defesa de minorias.

Ate ai tudo bem, mas a questão de fundo é que além dos programas dizerem a mesma coisa e os candidatos serem todos iguais, temos algo pior ainda, todos esqueceram seu passado, todos esqueceram suas origens dessa forma acabaram apagando importantes contribuições da historia do Brasil.

O problema disso tudo é que em algum momento as pessoas vão acordar e procurar um novo modelo, ou candidatos que sejam reais, isso que assistimos na Tv é puro reality show. É preciso que nossos políticos sejam eles mesmos, caso contrario o eleitor se cansara dessa fabrica de sabão e buscara alternativas.

E o modelo substituto a democracia, é a ditadura! Seja militar ou de um único governante e isso não é difícil de conseguir, basta ser diferente do trivial.

Read Full Post »

Brasília – O PSDB oficializa, neste domingo (24), José Serra como pré-candidato à prefeitura de São Paulo. Importantes quadros do partido estarão presentes ao evento, incluindo o presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), e o líder da legenda no Senado, Alvaro Dias (PR).

O formato da convenção será diferente de edições anteriores. José Serra ficará em um palco com visão de 360º e um telão de LED também irá compor o cenário ginásio Mauro Pinheiro, no Ibirapuera.

Dois membros históricos do PSDB serão homenageados na ocasião: Ruth Cardoso, falecida em 2008, e o ex-ministro da Educação Paulo Renato Souza, que morreu no ano passado.

Agenda:

Convenção do PSDB para escolha do candidato a prefeito – São Paulo
Data: 24/06
Local: Ginásio Mauro Pinheiro (R- Abílio Soares 1300 – Ibirapuera)
Horário: 9h

Fonte: Site PSDB/ Agência Tucana

http://www.psdb.org.br/

Read Full Post »

A ordem do dia é declarar guerra às taxas de juros, inclusive à garota propaganda dessa campanha e a própria Presidente (a) Dilma Rousseff.

Através de seus bancos o governo deu um bom exemplo reduzindo as taxas para empréstimos, mas isso não é o suficiente, para que a taxa de juros nos empréstimos continue em queda se faz mister que a Selic continuem recuando e sejam trabalhadas outras variáveis nessa difícil equação.

Segundo estudo da Febraban, o percentual das parcelas é o que segue: impostos diretos (20,6%); impostos indiretos e contribuições ao Fundo Garantidor de Crédito (7,9%); despesas administrativas (14,1%); despesas com inadimplência (17%); e margem líquida (40,1%).

Em outro estudo do Banco Central, revelou-se que o spread brasileiro é composto por vários itens: custo administrativo (13,5% do total), inadimplência (37,35%), compulsório (3,59%), tributos (8,09%), outros impostos (10,53%) e margem líquida dos bancos (26,93%).

Analisando esses dados observamos que a taxa Selic pode vir a ser negativa que não adiantara absolutamente nada, pois os componentes do spread são extremamente altos, por exemplo, impostos diretos 20,6% , outros impostos 10,53%, tributos 8,09%, inclusive a margem líquida dos bancos 26,93%.

 Isso tudo nos leva a mais uma liderança no ranking mundial:

Taxa média de spread

País Maiores taxas País Menores taxas
Zimbábue 75 pontos percentuais Holanda -0,6 ponto percentual
Brasil 35,4 pontos percentuais Reino Unido 0,2 ponto percentual
Madagascar 33,2 pontos percentuais Irã 0,3 ponto percentual
Paraguai 27,2 pontos percentuais França 0,7 ponto percentual
Malauí 21,8 pontos percentuais Eslováquia 0,8 ponto percentual
Fonte: Fórum Econômico Mundial

É bem provável que nesse caso, o gato corre atrás do rabo, porque se o governo reduzir em 50% sua carga tributaria teríamos um grande avanço rumo à queda no valor dos empréstimos, e finalmente se os bancos realizassem a fidalguia de abrir mão de no máximo 50% de sua margem líquida o valor do crédito reduzira bastante.

Mas como os bancos brasileiros como qualquer banco no mundo, realiza negócios com recursos de terceiros, e são extremamente conservadores (principalmente no Brasil) podemos esperar a manutenção desse sistema!

E para finalizar quero fazer uma provocação: a taxa de inadimplência esta em 37,35%, porque os bancos deveriam baixar a sua rentabilidade em um ambiente de aumento da inadimplência e crise de confiança no sistema financeiro internacional? Você compraria as ações desses bancos?

Read Full Post »

Our current  Rio+20 conference, have a focus, they called me the most:

The green economy in the context of sustainable development and poverty eradication;

What we need to understand is that this conference will not resolve the issue green, it is already solved! Brazil does not cut or pretend it does not cut more tree in the Amazon, on the other hand we have a swarm of ONGs caring for our Amazon. But if all else fails to resolve or someone stepping on the yellow line, have Uncle Sam bases at strategic points in Latin America.

Today everything is green and recyclable! Make no mistake the cost of production of recycled paper is higher than the cost of paper. Is not it strange!

Another aspect of healthy living that we should question is in regards to “healthy” foods free of pesticides, these foods are more expensive than foods with chemicals. There is a hypocrisy? If these foods do not have pesticides and the like, are just planted, they should be cheaper due to lower costs.

A subject that is on the agenda: a bag that was once distributed in supermarkets, greedy polluting the environment. Obviously it was prohibited. Giving rise to also plastic bag that cost a minimum of R$ 0.40 does not harm the environment.

With these three points I close this part by saying: green economy, has nothing to do with the environment and saving the planet, but with business.

And finally, our President called an effort to end world poverty, but if capitalism survives thanks to the exploitation of labor. How to eradicate poverty? Without the poor there is no voting easier, not to mention the cheap labor.

It’s a lot of hypocrisy in the same environment, the world ending and all heads of state discussed the environment! Well did Vladimir Putin and Barack Obama did not attend.

Borders on absurd to see the French President Francois Hollande tax asking for development in the midst of an international crisis, broken Greece, Spain is the flavor of the month, and Europe Euro melting elections in the U.S. and Argentina expropriating Spanish companies. With all this happening in the world, we have some presidents discussing green! And the issue of tax for the development, just to remember how many resources have been injected in Africa? In Haiti! A former French colony. How much was invested in the Brazilian Northeast? Many features have already been sent to these poor regions, but the pride of the local controllers is always better, just never got the resources at the tip.

Read Full Post »

O tráfico acabou com o próprio tráfico. Se eu fosse o Governador do Rio de Janeiro nesse momento, estaria morrendo de vergonha. Como pode o tráfico resolver parar de vender crack!

Enquanto a droga era disseminada o Estado e as milhares de ONG’s que comem nosso dinheiro nada fizeram.

Read Full Post »

A nossa atual conferência Rio­+20, têm um foco, que me chamou bastante atenção:

A economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza;

Oque precisamos entender é que essa Conferencia não irá resolver a questão verde, ela já esta resolvida! O Brasil não corta ou faz de conta que não corta mais arvore na Amazônia, por outro lado temos  uma chusma de ONG’s cuidando de nossa Amazônia. Mas se nada disso der certo ou alguém resolver pisar na linha amarela, têm bases do Tio Sam em pontos estratégicos na América Latina.

Hoje tudo é verde e reciclável! Não se engane o custo de produção do papel reciclável é mais alto que o custo do papel comum. Não é estranho!

Outro ponto da vida saudável que devemos questionar é em relação aos alimentos “saudáveis” livre de agrotóxicos, esses alimentos são mais caros que os alimentos com produtos químicos. Não é uma hipocrisia? Se esses alimentos não possuem agrotóxicos e similares, são apenas plantados, eles deveriam ser mais baratos devido aos custos menores.

Um assunto que esta na ordem do dia: a sacola que outrora era distribuída no supermercado, poluidora voraz do meio ambiente. Obviamente foi proibida. Dando lugar à sacola também de plástico que a um custo mínimo de R$0,40  não agride o meio ambiente.

Com esses três pontos eu fecho essa parte dizendo: economia verde, não tem nada a ver com meio ambiente e salvação do planeta, e sim com negócios.

E finalizando, nossa Presidente pediu um esforço para acabar com a pobreza mundial, mas se o capitalismo sobrevive graças à exploração do trabalho. Como erradicar a pobreza? Sem pobres não existe voto fácil, sem falar na mão de obra barata.

É muita hipocrisia no mesmo ambiente, o mundo acabando e todos os chefes de Estado discutindo meio ambiente! Bem fez o Vladimir Putin e Barack Obama em não terem comparecido.

Beira o absurdo ver o Presidente francês François Hollande pedindo imposto para o desenvolvimento, no meio de uma crise internacional, Grécia quebrada, Espanha é a bola da vez, Euro e Europa derretendo, eleições nos EUA e a Argentina expropriando empresas espanholas. Com tudo isso acontecendo no mundo, temos alguns Presidentes discutindo verde! E na questão do imposto para o desenvolvimento, basta nos lembrarmos de quantos recursos já foram injetados na África? No Haiti! Que é ex-colônia francesa. Quanto foi investido no nordeste brasileiro? Muitos recursos já foram enviados para essas pobres regiões, mas a soberba dos controladores locais é sempre maior, logo os recursos nunca chegaram na ponta.

Read Full Post »

Older Posts »